sexta-feira, 5 de agosto de 2011

A voz de Amy...

Por ser  fã das musicas e da voz, preciso escrever sobre Amy.

Amy Winehouse estava noiva quando morreu



Amy Winehouse foi umas das melhores cantoras de blue e com uma pegada meio hip-hop em referências retrô da música soul e outros ritmos da black music de outros tempos. Seu estilo visual na moda do passado, com cintura marcada, decote pin-up e vestidos sensuais,ela pedia socorro e falava de amor, nas letras de sua autoria.
Em (There Is) No Greater Love, ela diz que o amor que ela sente é porque ele é doce....
"Não há emoção maior Do que a que você traz pra mim. "
Em back to black ou seja Volta para o Luto, ela cobra o abandono daquele que te levou a loucuras,e sabe-se lá como.
Na letra ela diz :
"Eu te amo tanto"
Isso não é suficiente, você ama cheirar e eu amo dar um trago
E a vida é como um cano
E eu sou um minúsculo centavo rolando paredes adentro "
Amy tinha uma linda alma, seus olhos dizia!
Amy estava amando, tinha um namorado e iria se casar ano que vem.
Reg, de 35 anos, deu a Amy, de 27, um anel de diamantes e pediu-a em casamento. Segundo fontes do "The Sun", a cantora aceitou de imediato. "Ela não queria mais nada para além de ser mulher dele. Ela queria ver-se livre dos demónios a todo o custo. Eles diziam abertamente que queriam passar o resto das vidas juntos. Eram o mundo um do outro", confirma a fonte.
Como em Rehab ela pede em seu estrofe:
"Eu não quero beber nunca mais
Eu só oh, só preciso de um amigo
Não vou desperdiçar dez semanas
Pra todo mundo pensar que estou me recuperando"


Todo mundo pensar!! Todo mundo, o mundo vira as costas aos viciados, o preconceito ignora a grande necessidade dos seus sonhos. Amy tinha voz, talento e gerou dinheiro, tinha como se ajudar, mas não tinha forças. E fica na maioria dos viciados a falta de coragem para parar. Brecar um vicio sozinho é muito quase impossível. Sem dinheiro é impossível. A droga custa muito pouco e o tratamento muito caro, e a falta de paciência dos amigos e da família faz com que desistam de serem felizes, serem eles mesmo. A droga os levam para outro mundo, um que ninguém conhece, o seu mundo. Vazio, mas perfeito para ficar livre, um mundo sem responsabilidades e compromissos, quando o viciado volta, 2 dias ou mais já se passaram. Deve haver alguma coisa mais poderosa que essa droga, deve ter além de ajuda de grupo, clínicas e apoio.


As crianças que vejo no Pelourinho, fumando seu crack com liberdade, precisam de socorro. São crianças, perdendo a infância pulando a vivência de alegrias e formação de amizades e estudos. Perdendo a saúde, a vida!


Amy ficará eternamente em caixas de sons, para mim um  pesar de uma moça jovem ser corrompida pela droga, essa que o governo não quer controlar!










Nenhum comentário:

Postar um comentário