sábado, 14 de maio de 2011

Um texto contraceptivo...

Paula Manoela
há 16 minutos


Hoje eu li um artigo interessante sobre a emancipação feminina, a crescente e “perturbadora” ascensão das mulheres aos espaços antes destinados ao público masculino e me vi com uma dúvida: os espaços deixados vazios por estas heroínas do mundo moderno estão sendo ocupados pelos homens? Imagem um tanto engraçada, se me permite, mas um pouco perturbadora também. Estava outro dia com um casal de amigos e um ex namorado (também amigo, ufa) num restaurante, num momento bem agradável, e quando percebi a mesa tinha se dividido em duas conversas paralelas: eu e minha amiga conversávamos sobre Prison Break (pra quem não conhece, é um seriado bem “masculino”, com prisões, mortes, fugas...), enquanto os boys se entretiam conversando sobre episódios e personagens da novela global Passione. Sim sim, noveleiros de plantão que me fizeram ter o (des)prazer de ouvir a sentença “o que será de mim quando Passione acabar?”. Ok, não quis ser preconceituosa, a cena foi meio estranha mas gostos, principalmente televisivos, não se discute. Porém nas últimas semanas tive certeza que sim, o gosto da comunidade masculina por novelas não só cresceu como está sendo uma espécie de guia para eles, muitos andam baseando sua vida em personagens, assim como faziam as mulheres que ficavam a sonhar com aquele príncipe encantado da novela das 18hrs, que sim, ela também teria um final feliz como a da mocinha. Ultimamente eu e queridas amigas temos nos sentido A Camila Pitanga, pois ao nosso redor florescem homens tirados a André Gurgel, personagem de Lázaro Ramos. Acham que podem falar qualquer asneira que vêm à cabeça, do tipo “temos que transar hoje no primeiro encontro, porque não saio com a mesma mulher duas vezes”, ou que podem estar nos seus braços hoje, e amanhã estar “queixando” sua melhor amiga na sua face(book), sem o mínimo constrangimento, afinal de contas, o pau dele é cravejado de diamantes e deixa Kid Bengala com a humilde medalha de prata. E vai ficando tudo muito mais interessante, pois o grand finale fica por conta da belíssima cara de pau, digna de ator hollywoodiano. Por essas e outras adicionei novo acessório na minha bolsa: um vidrinho de óleo de peroba, afinal, se é pra encarar um tremendo idiota o resto da noite que pelo menos a pele dele combine com minha cútis sedosa. Pior é quando o dito-cujo resolve se inspirar no BBB, aí minha colega, senta que a comédia da vida real vai começar. Mau-Mau não te quer mais, acha melhor vocês serem só amigos, retomar o namoro está fora de cogitação...BUT...nem pense em conhecer melhor aquele filé que tanto te corteja, ele é capaz de se cortar todo se você decidir “seguir adiante”. Deve ser um tipo de desejo intimo de ver você ficar pra titia, pois não pode ser dele e de mais ninguém, já dizia Maria Gadú, você agora faz parte do altar particular dele, intocável. É minhas queridas, o nosso passatempo mais interessante está descobrindo as novelas, os dramalhões, e surpresa (quantos neurónios a mais nós temos mesmo?), estão confundindo isso com a vida real. Sem sombra de dúvidas que isso rende boas gargalhadas com as amigas enquanto se degusta um vinho encorpado ou aquela “piriguete” gelada...mas cuidado pra não se descuidar e acabar virando uma personagem da novela, afinal eles são os autores, e podem ser muito criativos no decorrer da trama, mas o final é bem previsível, não acha? Pensem nisso, enquanto isso fico aqui no meu papel de telespectadora comendo uma nada saudável pipoquinha amanteigada, e vou te confessar, nunca fui tão fã de besteirol “sul-americano” !
Trabalhar, cuidar dos filhos, manter a forma, caprichar no make, cuidar da casa… Ufa! Ser mulher é heróico, e é bem compensador. 
Parabéns Paula, adorei seu texto!




Nenhum comentário:

Postar um comentário